Carregando...

DISCIPLINA Listagem de Ementa/Programa

METODOLOGIA EM CIÊNCIA POLÍTICADISCIPLINA 398381

VER OFERTA

ÓrgãoIPOL Instituto de Ciência Política
Código398381
DenominaçãoMetodologia em Ciência Política
NívelMestrado
Início da Vigência em1985/1
Pré-requisitosDisciplina sem pré-requisitos
EmentaInício da Vigência em 2012/2

O curso tem como objetivo apresentar os principais fundamentos epistemológicos do conhecimento científico destacando as ligações entre os estudos empíricos e a reflexão axiológica da ciência política. Na sequencia, serão apresentados os principais instrumentos metodológicos - de ordem qualitativa e quantitativa - utilizados na formulação de um projeto e operacionalização da pesquisa científica.

ProgramaInício da Vigência em 2012/2

UNIDADE I – Enfoques epistemológicos e metodológicos da pesquisa qualitativa

1ª Aula : Epistemologia e Teoria
POUPART, Jean ; Jean-Pierre Deslauriers ; Lionel-H.Groulx ; Anne Laperrière ; Robert Mayer ; Álvaro P. Pires (org.). (2008). A Pesquisa Qualitatitiva - enfoques epistemológicos e metodológicos da pesquisa qualitativa. Rio de Janeiro, Editora Vozes.
“Sobre algumas questões epistemológicas de uma metodologia geral para as ciências sociais”. (52 páginas)
“Contribuição da pesquisa qualitativa à pesquisa social” (32 páginas).

2ª Aula : Abordagens da pesquisa qualitativa
POUPART, Jean ; Jean-Pierre Deslauriers ; Lionel-H.Groulx ; Anne Laperrière ; Robert Mayer ; Álvaro P. Pires (org.). op. cit.
“A indução analítica” – Jean-Pierre Deslaurier (7 páginas)
“A teorização enraizada: procedimento analítico e comparação com outras abordagens similares” - Anne Laperrière (16 páginas)
“Sobre o método fenomenológico utilizado como modo de pesquisa qualitativa nas ciências humanas: teoria, prática e avaliação”- Amadéo Giorgi (33 páginas)
“Os critérios de cientificidade dos métodos qualitativos” – Anne Laperrière (24 páginas)

3ª Aula – Abordagens e Técnicas de Pesquisa
POUPART, Jean ; Jean-Pierre Deslauriers; Lionel-H.Groulx ; Anne Laperrière, Robert Mayer ; Álvaro P. Pires (org.). op. cit.
“A entrevista de tipo qualitativo: considerações epistemológicas, teóricas e metodológicas” (61 páginas)
“A observação direta e a pesquisa qualitativa” (39 páginas)

4ª Aula – Conceitos e Generalizações
BECKER, Howard S.(2007) Segredos e truques da pesquisa. Rio de Janeiro, Zahar Editor. 1. Truques. 2. Representações (78 páginas)

5ª Aula - Continuação
BECKER, Howard S.(2007) Segredos e truques da pesquisa. Rio de Janeiro, Zahar Editor. Capítulo 4: “Conceitos são definidos”. (143 páginas).

6ª Aula – Objetivação, Teoria do Conhecimento e Teoria da Ação
BOURDIEU, Pierre (2002). Contribuição para uma economia dos bens simbólicos,. São Paulo, Editora ZOUK.
(1997) Razões Práticas – sobre a teoria da ação. Portugal,
Celeta, Editor.UNIDADE II – Métodos e Técnicas da Pesquisa Quantitativa na Ciência Política

1ª Aula – A Política e o Método

Fundamentos. Lógica e método nas ciências sociais: a visão de ciência, método e política em Giovanni Sartori. Metodologia política – a busca por padrões: o debate de Gary KING, Robert KEOHANE, Sidney VERBA em ‘Designing Social Inquiry’ e de Gary KING em ‘Unifying Political Methodology’. O estado da arte da metodologia política. O que há na literatura.

2ª Aula – Fundamentos da análise exploratória de dados - EDA

EDA - Definições e filosofia exploratória. As ideias de John TUKEY. Ferramentas básicas: Resumos, Stem&Leaf, Box Plot, Histograma. Exploração Gráfica: Percepção gráfica, Precisão, Elementos gráficos, Excelência gráfica e as recomendações de Edward Tufte. Como apresentar mal os dados. Iniciação aos modelos multivariados. Uso de software para tratamento de dados.

3ª Aula – Fundamentos da análise de correlação e regressão

Fenômenos associados. A ideia de associação estatística. A ideia de correlação. Representação gráfica de um conjunto de pontos. Nuvem de dispersão / diagrama de dispersão. Medição da associação estatística. Medidas de associação. O cálculo do coeficiente de correlação simples de Karl Pearson. Teste da qualidade da associação. A ideia de regressão. O modelo linear simples. Procedimentos para estimação de parâmetros. Hipóteses básicas. Qualidade dos estimadores. Tabela da análise de variância. Testes. Intervalos de confiança para os parâmetros..

4ª Aula – Relação entre múltiplas variáveis e modelos não lineares

Modelo linear múltiplo. Problemas de estimação. Outros tipos de funções. Introdução aos modelos de regressão com variáveis qualitativas. Estimação da função logística. Exemplos e estudos políticos. Estudo de grandes quadros numéricos: tratamento, análise, resultados. Exemplos e aplicações.

5ª Aula – Considerações sobre a qualidade dos modelos e análise textual

Objetivos, adequações e desenhos de estudos qualitativos. Esforços de interpretação e criação de quadros de referência. Técnicas qualitativas de coleta de dados. Técnicas de grupo. Diferentes tipos de observação. Análise de conteúdo e seus problemas. Análise de fenômenos coletivos. Critérios de validação: ‘aceitação interna, ‘completude’, ‘saturação’, ‘coerência interna’, ‘confirmação exterior’. Validação interna e externa. Análise lexicométrica ou análise de dados textuais. Elaboração de um relatório de pesquisa e cuidados metodológicos. Exemplos e softwares.

6ª Aula – Miscelânea e avaliação

Considerações sobre a bibliografia. Usos e abusos dos softwares especializados. Demonstração de um trabalho de pesquisa. Relatórios de pesquisa e relatos de preparação de dissertações de mestrado. Avaliação.

BibliografiaInício da Vigência em 2012/2

BEAUD, Stéphane. (1996) “L´usage de l´entretien en sciences sociales. Plaidoyer pour ‘l´entretien ethnographique’”, Politix, 35, pp.226-257.

BEAUD, Stéphane ; WEBER, Florence. (1997) Guide de l´enquête de terrain, Paris, La Découverte.

BECKER, Howard. (2004). Outsiders. Estudos de Sociologia do Desvio.(2008). Editora Zahar.

BERGER, Peter L. (2009) A construção social da realidade. Petrópolis: Editora Vozes. Capítulo II : “A sociedade como realidade objetiva” (págs.69 à 172).

BOURDIEU, Pierre. (1997) “Compreender”, in BOURDIEU, Pierre (org), A miséria do mundo, Petrópolis, Vozes.
________________. (1971)“Genèse et structure du champ religieux”, Revue Française de Sociologie, 12-3, pp. 295-334.

CASTANON, Gustavo. (2008) Introdução à Epistemologia. São Paulo, EPU Editora.

CEFAÏ, Daniel. (2003) L´enquête de terrain, Paris, La Découverte.

CHAMPAGNE, Patrick et al. (1999) Initiation à la pratique sociologique, Paris, Dunod.

DOUGLAS, Mary. (2007) Como as instituições pensam. S.Paulo, EdUsp.

ELIAS, Norbert. (1993) Engagement et distanciation, Paris, Fayard, [1983].

ELIAS, Norbert; John Scotson (1994), Os Estabelecidos e os Outsiders, Rio de Janeiro, Editora Zahar. .

FAVRE, Pierre (2005). Comprendre le monde pour le changer – épistémologie du politique. Paris: Les Presses Sciences Po.

FASSIN, Didier; BENSA, Alban. (2008) Les politiques de l´enquête, Paris, La découverte.

GATTI, Bernadete. (2006) Grupo focal e pesquisa qualitativa: o debate orientado como técnica de investigação, São Paulo, Cia dos livros.

LAPASSADE, Georges (2005). As mircossociologias. Brasília: Líber Livro Editora.

LATOUR, Bruno ; WOOGLAR, S. (1997) A vida do laboratório; a produção dos fatos científicos, Relume Dumará, Rio de Janeiro.

MUCCHELLI, Roger. (1978) “Saber escutar e saber observar”, in MUCCHELLI, Roger, A entrevista não diretiva, Lisboa, Martins Fontes.

PAVIANI, Jayme (2009). Epistemologia Prática (2009). São Paulo: EDUCS

STAKE, Robert E. (2011) Pesquisa Qualitativa. Estudando como as coisas funcionam. S.Paulo: Editora Penso-Artmed.

UNIDADE II – Métodos e Técnicas da Pesquisa Quantitativa na Ciência Política

BARTELS, Larry M.; BRADY, Henry E. The State of Quantitative Political Methodology. In Finifter, Ada W. (edited by). Political Science: The state of the discipline II. APSA, Washington, 1993. 535 p.

BRADY, Henry E.; COLLIER, David. Rethinking social inquiry: diverse tools, shared standards. Lanham, MD, Rowman & Littlefield Publ., 2004. 337 p.

CAMERON, Charles M.; MORTON, Rebecca. Formal theory meets data. In Katznelson, Ira; Milner, Helen V. (edited by). Political Science: State of the Discipline. Norton, New York, 2002. 994

CRIVISQUI, Eduardo M. Analisis factorial de correspondencias un instrumento de investigación en ciencias sociales. Asunción, Centro de publicaciones Universidad Católica "Nuestra Señora de la Asunción", 1993. 302p.
____ El análisis exploratorio de las series cronológicas y de las distribuciones de variables observadas a intervalos regulares. Methodologica, Bruxelles n. 3, p. 1 - 78, 1994.

FEYERABEND, Paul. Contra o método. Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1989. 488p.
_____ Matando o tempo uma autobiografia. São Paulo, Editora Unesp, 1996. 197p.

GOODE, W. J. e HATT, P. K. Métodos em pesquisa social. São Paulo, CEN, 1979. 487p.

GOODIN, Robert E.; KLINGEMAN, Hans-Dieter. (edited by). A New Handbook of Political Science. Oxford Press, Oxford, UK 1998. 845 p.

HOAGLIN, David C., MOSTELLER, F., TUKEY, J. W. Understanding robust and exploratory data analysis. New York. John Wiley, 1983. 445 p.
KING, Gary. Unifying Political Methodology The likelihood theory of statistical inference. New York, Cambridge University Press, 1994. 253 p.
KING, Gary.; KEOHANE, Robert., Verba, Sidney. Designing Social Inquiry Scientific inference in qualitative research. New Jersey, Princeton University Press, 1994. 230 p.

KNELLER, George F. A ciência como atividade humana. Rio de Janeiro, Jorge Zahar / Edusp, 1980. 310p.

LEVIN, Jack. Estatística aplicada a ciências humanas. São Paulo, Harbra, 1987, 328 p.

MUCCHIELLI, Alex. Les Méthodes Qualitatives. Paris, puf, 1994. 121p.

POPPER, Karl. A lógica da pesquisa científica. São Paulo, Cultrix / edusp, 1975.

POPPER, Karl. Conjeturas e refutações. Brasília, DF, Ed. da UnB, 1994. 418 p.

PRADO Júnior, Caio. Esboço dos fundamentos da teoria econômica. São Paulo, Ed. Brasiliense, 1957. 227 p.

RUSSELL, Bertrand. Delineamentos da Filosofia. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1969. 332 p.

SARTORI, Giovanni. A Política: lógica e método nas ciências sociais. Brasília, Ed. da UnB, 1997. 263 p.
TRIOLA, Mario F., Introdução à Estatística. Rio de Janeiro, LTC editora, 1999. 388p.

TUKEY, John W. Exploratory Data Analysis. Reading, MA. Addison-Wesley, 1977. 687 p.
____ Understanding robust and exploratory data analysis. New York, Wiley, 1983. 447 p.
____ Exploring data tables, trends, and shapes. New York, Wiley, 1985. 527 p.