Carregando...

DISCIPLINA Listagem de Ementa/Programa

RELAÇÕES ESTADO SOCIEDADE CIVILDISCIPLINA 387690

VER OFERTA

ÓrgãoIPOL Instituto de Ciência Política
Código387690
DenominaçãoRelações Estado Sociedade Civil
NívelMestrado
Início da Vigência em1985/1
Pré-requisitosDisciplina sem pré-requisitos
EmentaInício da Vigência em 2012/2

Estudar as várias teorias cujo o foco seja as distintas formas de intermediação entre estado e sociedade. Serão abordadas as correntes do liberalismo e pluralismo, as abordagens maxistas, o enfoque do corporativismo e democracia associativa, o institucionalismo histórico, os novos movimentos sociais, sociedade civil e redes e o debate brasileiro sobre as relações estado e sociedade.

ProgramaInício da Vigência em 2012/2

1. Liberalismo e Pluralismo: Grupos de Interesse e o Estado
Madison e o Problema de Facção
Tocqueville
Pluralismo

2. Abordagens Marxistas: Classes Sociais, Luta Socialista
Gramsci
Poulantzas

3. Corporativismo e Democracia Associativa Corporativismo Societal e Estatal
NeoCorporativismo
Democracia Associativa

4. Institucionalismo Histórico: O Debate entre "centrado na sociedade" e "centrado no estado".
Trazendo o Estado de Volta
Institucionalismo Histórico
Abordagens "Centrada na Sociedade"

5. Capital Social e Sinergia Estado-Sociedade
Capital Social e Neo-Tocquevilianismo
Sinergia e "Embeddedness

6. Novos Movimentos Sociais, Sociedade Civil, Redes
Novos Movimentos Sociais
Sociedade Civil e Esfera Pública
Redes, Teias

7. O Debate Brasileiro na fronteira entre Estado e Sociedade: Clientelismo? Participação? Sinergia?
Insulamento v. Corrupção
Públicos Participativos
Projetos Transfronteiriças

BibliografiaInício da Vigência em 2012/2

ALVAREZ, Sonia, 1998. "A 'Globalização' dos Feminismos Latino-Americanos: Tendências dos Anos 90 e Desafios para o Novo Milênio". IN: ALVAREZ, Sonia; DAGNINO, Evelina; ESCOBAR, Arturo, Cultura e política nos movimentos sociais latino-americanos: novas leituras. Belo Horizonte, UFMG, 383-426.
ANDERSON, Perry, 1986. As Antinomias de Gramsci: A Estratégia Revolucionária na Atualidade. São Paulo, Editora Joruês.
AVRITZER, Leonardo, 2002. Democracy and the Public Space in Latin America. Princeton, Princeton
BOBBIO, Norberto. Conceito de sociedade civil. Rio de janeiro: Graal, 1982.
CARDOSO, Fernando Henrique, 1970. "Planejamento e política: os anéis burocráticos". In Lafer, B., org. Planejamento no Brasil. São Paulo, Perspectiva.
COHEN, Jean L. & Arato, ANDREW, 1992, Civil Society and Political Theory. Cambridge, MA, MIT.
COHEN, Joshua & ROGERS, Joel, 1995. Associations and Democracy, London, Verso.
COLEMAN, James 1990. The Foundations of Social Theory Cambridge, MA: Belknap Press.
DAGNINO, Evelina (org.), 2002. Sociedade Civil e Espaços Públicos no Brasil, São Paulo, Paz e Terra
DAGNINO, Evelina; OLVERA, Alberto J. & PANFICHI, Aldo (Orgs), 2006. A Disputa pela Construção Democrática na América Latina, São Paulo, Paz e Terra.
DAHL, Robert, 1982. The Dilemmas of Pluralist Democracy. New Haven, Yale University Press.
DINIZ, Eli; BOSCHI, Renato, 2000. Elites Políticas e Econômicas no Brasil Contemporâneo: A desconstrução da ordem corporativa e o papel do Legislativo no cenário pós-reformas. São Paulo, Fundação Konrad Adenauer.
EVANS, Peter (org), 1997. State-Society Synergy: Government and Social Capital in Development. Berkeley, University of California, Berkeley, International and Area Studies no. 94.
EVANS, Peter, 2004. Autonomia e Parceria: Estados e Tranformação Industrial. Rio de Janeiro, Editora UFRJ.
EVANS, Peter B.; RUESCHEMEYER; Dietrich & SKOCPOL, Theda, 1985. Bringing the State Back In. Cambridge, Cambridge University Press.
GRAMSCI, Antonio. Cadernos do Cárcere. 3. ed. Rio de janeiro: Civilização Brasileira, 2004
LIN, Nan, 2001. Social Capital: A Theory of Social Structure and Action. Cambridge, Cambridge University Press. .
MADISON, James, 1961. "O Tamanho e as Diversidades da União Como um Obstáculo às Facções". IN: HAMILTON, Alexander; MADISON, James, JAY, John, O Federalista. Brasília, Editora Universidade de Brasília.
MARQUES, Eduardo Cesar, 2000. Estado eRedes Sociais: Permeabilidade e coesão nas políticas urbanas no Rio de Janeiro, São Paulo, Revan
MARTINS, Luciano, 1997. "Reforma da Administração Pública e Cultura Política no Brasil: Uma Visão Geral". Cadernos ENAP No. 8.
MIGDAL, Joel S. ; KOHLI, Atul; & SHUE, Vivienne. 1994. State Power and Social Forces: Domination and Transformation in the Third World. Cambridge, Cambridge University Press
POULANTZAS, Nicos, 1980. O Estado, O Poder, O Socialismo, Rio de Janeiro, Edições Graal.
PUTNAM, Robert. 1999. Comunidade e Democracia: A experiência da Itália moderna. Rio de Janeiro, FGV.
SCHERER-WARREN, Ilse, 2005. "Redes sociais: Trajetórias e fronteiras". IN: DIAS, Leila Christina & SILVEIRA, Rogério Leandro Lima da, orgs. Redes, Sociedades e Territórios. Santa Cruz do Sul, RS, EDUNISC, 29-50.
SCHMITTER, Philippe C., 1974. "Still the Century of Corporatism?". The Review of Politics 36(1)85-131.
STREECK, Wolfgang; SCHMITTER Philippe C., 1985. "Community, Market, State and Associations? The prospective Contribution of Interest Governance to Social Order". European Sociological Review 1(2) 119-138
TOURAINE, Alain, 1981. The voice and the eye - an analysis of social movements, Cambridge, Cambridge Univ. Press.
THELEN, Kathleen & STEINMO, Sven, 1992. "Historical institutionalism in Comparative Politics". In STEINMO, Sven; THELEN, Kathleen & LONGSTRETH, Frank, eds. Structuring Politics: Historical Institutionalism in Comparative Analysis. Cambridge: Cambridge University Press. Pag. 1-32
TOCQUEVILLE, Alexis de. Democracia na America. Belo Horizonte: Itatiaia
VIANNA, Maria Lúcia Teixeira Werneck, 1998. A Americanização (perversa) da Seguridade Social no Brasil. Rio de Janeiro, IUPERJ/REVAN.