Carregando...

DISCIPLINA Listagem de Ementa/Programa

BRASÍLIA: HISTÓRIA E CRÍTICADISCIPLINA 356000

VER OFERTA

ÓrgãoFAU Direção da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo
Código356000
DenominaçãoBrasília: História e Crítica
NívelMestrado
Início da Vigência em2018/2
Pré-requisitosDisciplina sem pré-requisitos
EmentaInício da Vigência em 2001/1

Análise multidisciplinar dos fundamentos sociais, econômicos e políticos da evolução urbana de Brasília e suas implicações espaciais, decorrentes inclusive da urbanização da região. Análise de Problemas Urbanos atuais e de suas raízes.

ProgramaInício da Vigência em 2001/1

Objetivos Gerais: Compreender o processo de urbanização e a evolução urbana de Brasília. Identificar os mecanismos teóricos e operacionais que norteiam as decisões na evolução da cidade. Estabelecer conceitos relativos ao seu processo de urbanização. Avaliar os efeitos do tombamento na vida urbana.
Objetivos Específicos: Compreender o processo de fundação, construção e desenvolvimento de Brasília. Identificar os fundamentos e pressupostos contidos no processo de mudança da Capital Federal. Identificar os pressupostos da Comissão de Mudança e da NOVACAP, e do próprio Governo Federal. Compreender os elementos conceituais que embasaram os projetos apresentados ao concurso, e posteriormente a tomada de decisões da NOVACAP na implantação do Projeto de Lúcio Costa. Compreensão das implicações - teóricas e operacionais - das alterações levadas a efeito no Plano de Lúcio Costa pela NOVACAP, e posteriormente o GDF e os diversos órgãos do Governo Federal. Compreender em suas raízes os problemas atuais como trânsito, segurança, ocupação de espaços (parcelamentos irregulares), etc. Avaliar os efeitos do Tombamento na cidade.
Escopo: O curso será desenvolvido em quatro grandes blocos constando de aulas expositivas e seminários a saber:
1. FUNDAMENTOS TEÓRICOS E ANTECEDENTES HISTÓRICOS DO PROCESSO DE MUDANÇA DA CAPITAL E DO PROJETO VENCEDOR DO CONCURSO.
(1) O Positivismo. Comte e Saint Simon. A lei dos Três Estados e a Classificação Geral das Ciências. O Racionalismo mecanicista e os estudos da vida. Descartes e Monge. O positivismo no Brasil. Luiz Cruls.
(2) A Crítica do Positivismo e as Outras Formas de Pensamento no Século XIX. O Marxismo: Hegel: e o pensamento dialético. Adam Smith e a Economia Clássica. Os socialistas utópicos. Marx e Engels. O método dialético. Peirce: a Semiótica. Husserl (e Merleau-Ponty): a Fenomenologia. A Sociologia. Tönnies, Durkheim e Weber. O Funcionalismo. A Escola de Chicago: Park.
(3) Desdobramentos, no Urbanismo, do Positivismo e de sua crítica. As Propostas Urbanísticas do Século XIX e Início do XX. As propostas dos Socialistas Utópicos. Proudhom, Le Play, Fourier. O Barão Haussmann e a reforma de Paris (1853-1869). Ildefonso Cerdá. A demolição das muralhas e a expansão de Barcelona (1854-1859). A Teoria Geral da Urbanização. Arturo Soria y Mata. A Proposta de Cidade Linear; Madrid (1882). Ebenezer Howard: As Cidades-Jardim e seus desdobramentos: Patrick Geddes. A Unidade de Vizinhança. O Esquema Redburn. Le Corbusier: A Cidade Contemporânea e a Cidade Radiosa.
As Cidades-Capitais reformadas e projetadas. Washington (1791) Paris e Viena. Camberra.
2. O PROCESSO HISTÓRICO DA MUDANÇA DA CAPITAL DO BRASIL.
(4) Formação e Evolução da Rede Urbana Brasileira. A Evolução, da Colônia aos dias atuais. A situação na década de 30. o crescimento de população, a industrialização e a urbanização acelerada a partir da década de 30. Evolução do sistema de propriedade no Brasil.
Experiências anteriores de construção de cidades-novas no Brasil. As Capitais: Salvador (1549). Aracajú (1850) e Teresina (1855). Belo Horizonte (1897). Goiânia (1933).
(5) O Relatório Cruls. Contexto Histórico: A Abolição e a República. Dispositivos da Constituição: 1824, 1891, 1934, e 1945.
A Marcha para o Oeste, Cassiano Ricardo. A década de 30. Getúlio Vargas. A Industrialização Brasileira. Ocupação do Território Nacional. Goiânia.
(6) O Relatório Belcher. O contexto histórico. As condições de segurança das instituições governamentais no Rio de Janeiro. O suicídio de Getúlio Vargas. A Transição: eleição, golpe e contragolpe, (1955), e a posse de Juscelino Kubitschek. O conceito de segurança nacional e a 'segurança do hemisfério'. As Classes Perigosas. A nova etapa da industrialização Brasileira.
Preliminares do Concurso. A Comissão de Mudança da Capital Federal. A criação da NOVACAP.
O sítio Urbano de Brasília. O sítio Castanho do Relatório Belcher.
3. O CONCURSO.
(7) Os Projetos apresentados ao concurso. O Edital do concurso. A Carta de explicações aos concorrentes. A composição do júri. Os 26 apresentados. Os classificados. Os projetos de Baruch Milman (2o Lugar) e o de Milton Ghiraldini (5o Lugar). Os de Rino Levi e dos Irmãos Roberto (3o lugar). Os projetos de Vilanova Artigas e Henrique Mindlin. (5o lugar). O projeto não classificado de Joaquim Guedes e equipe. Os Comentários do Júri.
(8) O projeto vencedor de Lúcio Costa. As proposições no preâmbulo: Civitas e não Urbs; o caráter Piloto do plano; A Cidade-Capital e a monumentalidade não ostensiva. A implantação geral: os dois eixos. Os cinco pontos teóricos do projeto de Lúcio Costa: a cidade Linear; a Cidade Jardim; a Cidade Funcional; o automóvel como centro de composição e o sistema de propriedade.
4. A CONSTRUÇÃO DA CIDADE E O PLANEJAMENTO REGIONAL E URBANO.
(9) As modificações no projeto inicial. o deslocamento para Leste da cidade, a ampliação das áreas residenciais e suas implicações. As mudanças em Projeto.
(10) O Planejamento Regional e Urbano. O caráter 'piloto' do plano de Lúcio Costa. Complementos adicionados ao plano na escala regional e urbana: A EPCT e as cidades satélites. As mansões parkway e as áreas residenciais do lago. Os imprevistos e as soluções emergenciais: a cidade livre, e a invasão do IAPI: a Ceilândia. O PEOT (1976). O PDOT. Os condomínios. Brasília Revisitada.

BibliografiaInício da Vigência em 2001/1

BELCHER, Donald J. Belcher & Associates. O Relatório Técnico sobre a Nova Capital da República - Relatório Belcher; (1955). Brasília-DF, GDF. 1995.
CARPINTERO, Antonio Carlos Cabral. Brasília, Prática e Teoria Urbanística no Brasil, 1956-1957. (Tese de Doutorado) São Paulo-SP, USP-FAU, 1998.
CERDÁ, Ildefonso & LOPEZ de Aberasturi, Antonio (org). La Teoría General de la Urbanización; (1867). Tradução em Italiano por Ada Ceruti: Teoria Generale Dell'Urbanizzazione. Milão [ITA], Jaca Book, 1985.
CORNELL, Elias. Bygge av stad och land. Tradução do original sueco para o Português por Frank Svensson: A Arquitetura da Relação Cidade-Campo. Brasília-DF, Alva, 1998.
COSTA, Lúcio & COSTA, Maria Elisa (org). Lúcio Costa, Registro de uma Vivência. São Paulo-SP & Brasília-DF, Empresa das Artes & EdUnB, 1995.
COSTA, Lúcio. Memória Descritiva do Plano Piloto de Brasília, (1957) in: COSTA& COSTA. Lúcio Costa, Registro de uma Vivência. São Paulo-SP & Brasília-DF, Empresa das Artes & EdUnB, 1995. p.283-297.
COMTE, Auguste. Excertos in: Comte. Coleção Os Pensadores. São Paulo, Abril Cultural 1980.
COSTA, Maria Elisa veja COSTA, Lúcio & COSTA, Maria Elisa.
CUIN, Charles Henry & GRESLE, François. Histoire de la Sociologie. Tradução em português por Roberto Leal Ferreira: História da Sociologia. São Paulo, Ensaio. 1996.
CRULS, Luiz. Planalto Central do Brasil; (1896) 3a Ed. Rio de Janeiro-RJ, José Olympio, 1957.
DELSON, Roberta Marx. New Towns for Colonial Brazil: Spatial and Social Planning of the 18th Century; (1979). Tradução em Português por Fernando de Vasconcelos Pinto: Novas Vilas para o Brasil Colônia: Planejamento Espacial e Social no Século XVIII. Brasília-DF, Alva & CIORD, 1997.
ESPEJO, L. Arturo. Racionalité et Formes d'Occupation de L'Espace. Le Projet de Brasilia**. Paris [FRA], Anthropos, 1984.
FAUSTO, Boris. História do Brasil. (1994) 4a Ed. São Paulo-SP, EdUSP, 1996.
FISHMAN, Robert. Urban Utopias in the Twentieth Century, (1977). Tradução para o Francês por P. Guillitte: L'Utopie Urbaine au XXe Siècle. Bruxelas [BEL], Pierre Mardaga, 1979.
GOTTDIENER, Mark. The Social Production of Urban Space. (1985). Tradução em Português por Geraldo Gerson de Souza: A Produção Social do Espaço Urbano. São Paulo-SP, EdUSP, 1993.
GRAVAGNUOLO, Benedetto. La Progettazione Urbana in Europa. 1750-1960. (1991). 2a Ed. Roma & Bari [ITA], Laterza, 1994.
HOWARD, Ebenezer. To-morrow, a Peaceful Path to a Real Reform, (1898). [Garden-cities of tomorrow, (1902)]. Tradução em português por Marco Aurélio Lagonegro: Cidades-Jardins do Amanhã. São Paulo-SP, HUCITEC, 1996.
Le CORBUSIER. (Charles-Edouard Jeanneret) La Charte d'Athènes. Tradução em Português por Rebecca Scherer: A Carta de Atenas. São Paulo-SP, EdUSP, 1993.
MARX, Murilo. Cidade no Brasil, Terra de Quem?. São Paulo-SP, Nobel, 1991.
REIS Filho, Nestor Goulart. BUENO, Beatriz Piccolotto Siqueira & BRUNA, Paulo Júlio Valentino (colaboradores) . Imagens de Vilas e Cidades do Brasil Colonial. São Paulo-SP, EdUSP & Imprensa Oficial, 2000.
REIS Filho, Nestor Goulart. Evolução Urbana no Brasil. Contribuição ao Estudo da Evolução Urbana no Brasil (1500-1720). São Paulo-SP, 1968.
_____, Quadro da Arquitetura no Brasil. São Paulo-SP, Perspectiva 1979.
______, Urbanização e Teoria. Contribuição ao Estudo das Perspectivas Atuais para o Conhecimento dos Fenômenos de Urbanização. Tese de Cátedra. São Paulo-SP, USP-FAU. 1967.
VELHO, Otávio Guilherme, (org). O Fenômeno Urbano. (coletânea). 4a Ed. Rio de Janeiro-RJ, Zahar, 1979.
PERIÓDICOS
MÓDULO (revista), (8), julho 1957
ARQUITETURA & ENGENHARIA. (46; 47; 48) 1957.