Carregando...

DISCIPLINA Listagem de Ementa/Programa

POPULAÇÃO E MEIO AMBIENTEDISCIPLINA 205737

VER OFERTA

ÓrgãoCDS Centro de Desenvolvimento Sustentável
Código205737
DenominaçãoPopulação e Meio Ambiente
NívelGraduação
Início da Vigência em1971/2
Pré-requisitos CDS 200972 Meio Amb Cult e Sociedade
EmentaInício da Vigência em 2012/1

As relações homem-natureza englobam três dimensões básicas: o mundo biofísico, o mundo humano e suas estruturas sociais e o relacionamento dinâmico e interdependente entre esses dois mundos. A disciplina busca apresentar bases práticas e teóricas para entender esse terceiro ponto, a parte relacional, em suas diferentes abordagens. Assim, o objetivo da disciplina é o estudo das interações entre dinâmica populacional, meio ambiente e desenvolvimento sustentável.
Serão alternados diferentes recursos formativos, entre aulas expositivas; leitura e discussão dos textos-base; trabalhos em grupos de estudo dirigido; exibição e discussão de vídeos; seminários de apresentação de textos/documentos; entre outros.

ProgramaInício da Vigência em 2012/1

1) Estudos populacionais
- Conceitos básicos na demografia,
- Tendências demográficas no mundo e no Brasil,
- Fator populacional e desenvolvimento: grandes abordagens teóricas
- Estado e planejamento familiar
- Direitos sexuais e reprodutivos

2) Dinâmicas de ocupação no mundo e no Brasil e impactos ambientais
- Rural x urbano: definições, distribuição da população, migrações, metabolismo urbano, transformação rural

3) Sistemas socioecológicos
- Pensamento sistêmico
- Vulnerabilidades (social, ambiental, climática, institucional), seguranças (alimentar, hídrica), adaptação, resiliência
- Pobreza
- Produção de alimentos, desenvolvimento e meio ambiente
- Saúde e meio ambiente
- Gênero, raça e meio ambiente

BibliografiaInício da Vigência em 2009/2

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
SEN, AMARTYA KUMAR,. DESENVOLVIMENTO COMO LIBERDADE. SÃO PAULO: COMPANHIA DAS LETRAS, 2000 (2013). 409 P. ISBN 9788571649781.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
- ADGER, W. N. Vulnerability. Global Environmental Change, v. 16, n. 3, p. 268-281, 2006. https://www.geos.ed.ac.uk/~nabo/meetings/glthec/materials/simpson/GEC_sdarticle2.pdf
- BARBIERI, A. F. Mudanças climáticas, mobilidade populacional e cenários de vulnerabilidade para o Brasil. Revista Interdisciplinar da Mobilidade Humana, v. 19, n. 36, 2011.
- BARRETO FILHO H. T. "Populações tradicionais: introdução à crítica da ecologia política de uma noção", In: Sociedades Caboclas Amazônicas: Modernidade e Invisibilidade. C. Adams, R.S.S. Murrieta, and W.A. Neves (eds.). Sao Paulo: Annablume, 1996, p. 109-144.
- BERDEGUÉ, J.; FUENTEALBA, R. 2011. Latin America: The State of Smallholders in Agriculture. IFAD Conference on New Directions for Smallholder Agriculture, 24-25 January, 2011. https://www.ifad.org/documents/10180/7770b19f-53d7-4ef6-8326-e931c40d356b
- BERDEGUÉ, J.; PROCTOR, F. 2014. Ciudades en la Transformación Rural. Serie Documentos de Trabajo N° 130. Grupo de Trabajo: Desarrollo con Cohesión Territorial. Programa Cohesión Territorial para el Desarrollo. Rimisp, Santiago, Chile. http://rimisp.org/wp-content/files_mf/1425041163Doc130Ciudades_en_Transformacion_rural.pdf
- BRITTO, F. As migrações internas no Brasil: um ensaio sobre os desafios teóricos recentes. [s.l.] Cedeplar, Universidade Federal de Minas Gerais, set. 2009. Disponível em: . Acesso em: 7 set. 2017.
- DIRVEN, M.; PERICO, R.; SABALAIN, C.; RODRÍGUEZ, A.; BAEZA, D. C.; PEÑA, C.; FAIGUENBAUM, S.; 2011. Hacia una nueva definición de "rural" con fines estadísticos en América Latina. CEPAL. http://www19.iadb.org/intal/intalcdi/PE/2011/08534.pdf
- DUDEN, B. 2000. Verbete "População". Pp. 251-266. In SACHS, W. (org.). Dicionário do desenvolvimento. Guia para o conhecimento como poder. Petrópolis: Ed. Vozes. 399p.
- ERVATTI, L. R.; BORGES, G. M.; JARDIM, A. P. (org.) 2015. Mudança demográfica no Brasil no início do século XXI: subsídios para as projeções da população. Rio de Janeiro: IBGE. 156p. https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv93322.pdf
- ESTEVA, G. 2000. Verbete "Desenvolvimento". Pp. 251-266. In SACHS, W. (org.). Dicionário do desenvolvimento. Guia para o conhecimento como poder. Petrópolis: Ed. Vozes. 399p.
- FAO; IFAD; UNICEF; WFP; WHO. 2017. The State of Food Security and Nutrition in the World 2017. Building resilience for peace and food security. Rome, FAO. http://www.fao.org/3/a-i7695e.pdf
- FARHAD, S. 2012. Los sistemas socio-ecológicos. Una aproximación conceptual y metodológica. Anais da XIII Jornada de Economía Crítica: los costes de la crisis y alternativas em construcción. Sevilla, Espanha. P. 265-280. http://webs.ucm.es/info/ec/jec13/Ponencias/economia%20ecologica%20y%20medio%20ambiente/LOS%20SISTEMAS%20SOCIO-ECOLOGICOS.pdf
- HARDIN, G. 1968. The tragedy of the commons. Science, 162, 1243-1248. http://science.sciencemag.org/content/162/3859/1243.full
- IGBP. 2012. Segurança hídrica para um planeta sob pressão. Transição para a sustentabilidade: desafios interligados e soluções. PLANET UNDER PRESSURE. 26-29 March, London http://www3.inpe.br/igbp/arquivos/Water_FINAL_LR-portugues.pdf
- KIMPARA, 2010. Crescimento populacional: obstáculo ao desenvolvimento sustentável? XVII Encontro Nacional de Estudos Populacionais, ABEP, Caxambú- Brasil, 20 a 24 de setembro de 2010 http://www.abep.nepo.unicamp.br/encontro2010/docs_pdf/eixo_2/abep2010_2288.pdf
- LIMA, M-H. 2016. A delimitação legal dos espaços urbanos. In FIGUEREIDO, A. (org.) Brasil : uma visão geográfica e ambiental no início do século XXI. Rio de Janeiro : IBGE, Coordenação de Geografia, p. 75-100. http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv97884.pdf
- LINDOSO, D.; RODRIGUES FILHO, S. 2016. Vulnerabilidade e adaptação: bases teóricas e conceituais da pesquisa. In: RODRIGUES FILHO, S.; BURSZTYN, M. (Eds.). Clima em transe: vulnerabilidade e adaptação da agricultura familiar. Rio de Janeiro: Garamond.
- MAIA, A. G.; BUAINAIN, A. M. 2015. " O novo mapa da população rural brasileira ", Confins [Online], 25 http://journals.openedition.org/confins/10548
- MARTÍNEZ-ALLIER, J. 2007. "Correntes do ecologismo". In MARTÍNEZ-ALLIER, J. 2007. O ecologismo dos pobres: conflitos ambientais e linguagem de valoração. São Paulo: Ed. Contexto. P. 21 a 39.
- MATOS, R. Migração e urbanização no Brasil. Geografias, v. 08, n. 1, p. 07-23, 2012.
- MESQUITA, P. DOS S. 2015. Segurança Alimentar, Mudanças Climáticas e Proteção Social no Semiárido Brasileiro (Cariri, Ceará). Capítulo 4 "Segurança alimentar". Tese de Doutorado-Brasília: Centro de Desenvolvimento Sustentável. Universidade de Brasília, p. 80-110.
- MOORE, Henrietta, 1997. "Compreendendo Sexo e Gênero". In- T. Ingold (org.) Companion Encyclopedia of Anthropology, London, Routledge, (tradução de Júlio Assis Simões). https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/269229/mod_resource/content/0/henrietta%20moore%20compreendendo%20sexo%20e%20gênero.pdf
- OLIVEIRA, L. A. P. DE; OLIVEIRA, A. T. R. de. (org.) 2011. Reflexões sobre os deslocamentos populacionais no Brasil. Rio de Janeiro: IBGE, Coordenação de População e Indicadores Sociais, 105p. https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv49781.pdf
- PISCITELLI, Adriana, 2009. Gênero: a história de um conceito. In: Almeida & Szwako. Diferenças, Igualdade. São Paulo. Berlendis & Vertecchia.
- SEN, A. 2000. Capítulo 1 "A perspectiva da liberdade". In SEN, A. Desenvolvimento como liberdade. São Paulo, Companhia das Letras. P. 27-50
- SINGER, P. Economia política da urbanização. 3. ed. São Paulo: Contexto, 2012.
- SZMRECSÁNYI, T. 1980. Retrospecto histórico de um debate. In: Dinâmica da População: Teoria, Métodos e Técnicas de Análise (J. L. Santos; M. S. F. Levy & T. Szmrecsányi, orgs.), parte IV: População e Desenvolvimento Econômico, pp. 263-274, São Paulo: T. A. Queiroz.
- VALE, A. L. F.; LIMA, L. C.; BONFIM, M. G. Século XX: 70 anos de migração interna no Brasil. Textos & Debates, n. 7, p. 22-43, [s.d.].