Carregando...

DISCIPLINA Listagem de Ementa/Programa

RELAÇÕES ECONÔMICAS INTERNACIONAISDISCIPLINA 185451

VER OFERTA

ÓrgãoIREL Instituto de Relações Internacionais
Código185451
DenominaçãoRelações Econômicas Internacionais
NívelGraduação
Início da Vigência em1962/1
Pré-requisitos ECO 132012 Introdução à Economia
ProgramaInício da Vigência em 2005/1

Parte I: Apresentação do Dez princípios em economia
Parte II: Modelos Interpretativos de Economia Política.
- a perspecitva Marxista;
- a perspectiva Neoclássica;
- a perspectiva Keynesiana;
- a perspecitva Schumpeteriana;
- a teoria da dependência.
Parte III: A Política das Relações Econômicas Internacionais, de 1945 aos nossos dias.
- o processo de formação do sistema financeiro internacional;
- sistema monetário internacional;
- a construção do sistema multilateral de comércio;
- globalização econômica e papel do Estado;
- desenvolvimento e liberdade;
- os efeitos do processo de liberalização;
- o processo reestruturação produtiva.

BibliografiaInício da Vigência em 2005/1

MANKIW, N. Gregory (2001) Dez princípios em economia, Cap. I
MANKIW, N. Gregory (2001) Pensando como economista, Cap. II
MANKIW, N. Gregory (2001), Interdependência e ganhos de capital. Cap. III
ARENDT, Hannah (1991). A condição humana. Cap. I e II. Forense Universitária. Rio de Janeiro.
SMITH, Adam (1776-1997). A riqueza das nações: Investigação sobre sua natureza e suas causas. In Ricardo Carneiro (Org.), Os clássicos da economia. São Paulo. Ed. Ática, vol. 1.
SMITH, Adam (1776-1991). Of de principle of the commercial or mercantile system.
RICARDO, David. Princípios de economia política e tributação. In Ricardo Carneiro (Org.), Os clássicos da economia. São Paulo, Ed. Ática, vol. 1.
KRUGMAN, Paul (1997), O que os estudantes de economia precisam saber sobre comércio. In P. Krugman, Internacionalismo POP, São Paulo. Ed. Campus.
PIO, Carlos (2002). Relações Internacionais - economia política e globalização. Brasília. FUNAG/IBRI.
MARX, Karl, & F. Engels (1848) O manisfesto do partido comunista.
LENIN, Vladmir I. O imperialismo fase superior do capitalismo. Progresso. Lisboa
FRIEDMAN, Milton. Estabilidade com regras monetárias. In Ricardo Carneiro (Org.), Os clássicos da economia. São Paulo, Ed. Ática, vol. 1.
KEYNES, John M. (1926-1997). A expectativa como elemento determinante do produto e do emprego. In. Ricardo Carneiro (Org.). Os clássicos da economia. São Paulo, Ed. Ática, vol. 2.
SCHUMPETER, Joseph A. (1943) Capitalismo, socialismo e democracia.'
SCHUMPETER, Joseph A. Inovações e dinâmica do capitalismo. In Ricardo Carneiro (Org.), Os clássicos da economia. São Paulo, Ed. Ática, vol. 1.
PREBISCH, Raúl (1949-1998). El desarrollo económico de la América Latina y algunos de sus principales problemas. In CEPAL. Cincuenta años de pensamiento de la CEPAL/Fondo de Cultura Económica, vol. 1.
ROCHA, Geisa Maria (2002). Neo-Dependency in Brazil. London: New Left Review nº 16, July/August.
STIGLITZ, J. El malestar en la globalización.
KRUGMAN, Paul (1999). Sistema monetário internacional, 1870-1973 cap. 18, In P. Krugman, Economia Internacional: Teoria e Política. São Paulo ABDR.
BECK, U (1998) Qué es la globalización? Falacias del globalismo, respuestas a la globalización. Barcelona: Paidós.
NAVARRO, Vicenç (2001). Las políticas económicas y sociales de las tradiciones socialdemócratas, cristianodemócratas y liberales, In V. Navarro. Globalización económica, poder político y estado del bienestar. Barcelona. Ariel.
SEN, Amartya (1997). Sobre ética y economía. Madrid: Alianza Universidad.
CHOMSKY, Noam (2001). Neo liberalismo y orden global, cap. 1, In N. Chomsky, El beneficio es lo que cuenta: Neoliberalismo y orden global. Barcelona: Crítica.
COSTELLO, Anne, LEVIDOW, Les (2001). Flexplotation Strategies: UK lessons from and for Europe. London: Soundins.