Carregando...

DISCIPLINA Listagem de Ementa/Programa

ESTÉTICA E CULTURA DE MASSADISCIPLINA 145033

VER OFERTA

ÓrgãoFAC Faculdade de Comunicação
Código145033
DenominaçãoEstética e Cultura de Massa
NívelGraduação
Início da Vigência em1989/2
Pré-requisitosDisciplina sem pré-requisitos
EmentaInício da Vigência em 1970/2

CFE: (ESTETICA E CULTURA DE MASSA): FENOMENOS ESTETICOS E CULTURA DE
MASSA. INTERPRETACOES ESTETICAS DE INDUSTRIA CULTURAL.
- INTERFERENCIA ENTRE OS CONCEITOS ENVOLVIDOS DA DENOMINACAO DA DIS-
CIPLINA (E, QUE, NA PERSPECTIVCA ESTABELECIDA, APARECEM COMO CONTRADITO-
RIOS). REFLEXAO CRITICA SOBRE PRODUTOS CULTURAIS DA SOCIEDADE MODERNA
- COM BASE EM EXERCICIOS DA ANALISE. LEITURA DA BIBLIOGRAFIA BASICA E
DEBATE SOBRE ANGULOS DE APRECIACAO DA CULTURA DE MASSA.

ProgramaInício da Vigência em 1970/2

O OBJETIVO DO SUCRO SERA APRENDER A QUESTAO ESTETICA VERSUS CULTURA
DE MASSA NO PERIODO DO MODERNISMO E A MUDAMCA QUE SE PASSA NA RELACAO
ENTRE ESSES DOIS POLOS ANTERIORMENTE ANTITETICOS A PARTIR DAS TRANSFOR-
MACOES VIVIDAS NOS ANOS 1960, QUE SE TORNAM REFERENCIA OBRIGATORIA PARA
A COMPREENSAO DO POS-MODERNISMO. PARA TANTO, SERAO EXAMINADOS - NA SUA
DIVERSIDADE E NOS SEUS DERNOMINADORES COMUNUS - PRODUTOS CULTURAIS
CARACTERISTICOS DOS MOVIMENTOS MODERNISTAS, ESTIMULANDO-SE O RECONHECI-
MENTO, NESSES PRODUTOS, DOS INDICIOS DA OPOSICAO E DA INTER-RELACAO DIA-
LETICA ENTRE ESTETICA E CULTURA DE MASSA. DEVERAO SER TAMBEM ANALISADOS
PRODUTOS CULTURAIS DOS ANOS 1960 EM QUE SE PODE RECONHER A PRESENCA DAS
MESMAS FORCAS ATUANTES NO MODERNISMO EQUACINADAS, AGORA, EM UMA RELACAO
QUALITATIVAMENTE DIFERENTE DA ANTERIOR.
O CURSO DEVERA SE CONCENTRAR EM DOIS BLOCOS DE INTERESSE:
- O PRIMEIRO BUSCARA ESTUDAR COMO SE COLOCA A QUESTAO ESTETICA VERSUS
CULTURA DE MASSA NO FINAL DO SECULO XIX, MAS EXAMINA-LA PRINCIPLAMENTE
NO MOMENTO DE PIQUE DO MODERNISMO, NOS ANOS 90 DE NOSSO SECULO E NA SUA
EVOLUCAO ATE OS ANOS 1940. DEVERA SER ANALISADA A ALATERNANCIA ENTRE O
MOVIMENTO DE MARGINALIZACAO DA ARTE, QUE VOLTA AS COSTAS AO ESPIRITO
BURGUES - PRATICO, QUANTIFICADOR, MECANIZADOR DO HOMEM - NO MOMENTO EM
QUE A INDUSTRIA CAPITALISTA GERAVA O PROGRESSO E A CULTURA DE MASSA; O
MOVIMENTO DE ATRACAO DA ARTE PELA MODERNIZACAO, PELA CONSCIENCIA DA
NECESSIDADE DE ATUALIZACAO, SEJA NO SENTIDO DE INTEGRACAO COM O PRO-
GRESSO SEJA NO DE ATUACAO ORIENTADORA SOBRE AS FORCAS DESSE PROGRESSO,
EM OUTROS TERMOS, O CURSO BUSCA-RA, ATRAVES DA ANALISE DE PRODUTOS CUL-
TURAIS DESSE PRIMEITO BLOCO, RESSALTAR A ESPECIFICA RELACAO - NO MOMENTO
DADO - ENTRE AS ESFERAS DO CULTURAL E AS DO POLITICO E SOCIAL. DEVERA
TAMBEM SER RESSALTADA A RUPTURAL DA ARTE MODERNISTA COM O SENTIDO DE
TOTALIDADE, E O PROCESSO DE CONSTRUCAO DE UMA LINGUAGEM E DE UM PATAMER
AUTONOMOS - A PARTIR DOS QUAIS ELABORA A SUA POSICAO QUNATO AOS EMBATOS
DO MUNDO CAPITALISTA.
- NO SEGUNDO BLOCO SERAO ANALISADOS PRODUTOS CULTURAIS DA DECADA DE
60 DE NOSSO SECULO EM QUE A ARTE RENEGA O ESPACO ESPECIFICO EM QUE ANTE-
RIORMENTE HAVIA-SE ESTRINCHEIRADO, BUSCANDO AGORA ANULAR A FRONTEIRA
ANTES LEVANTADA ENTRE AS ESFERAS CULTURAL E AS DO POLITICO E SOCIAL PARA
COMBATER, NA DIMENSAO PRATICA, A IDEOLOGIA DA OCIEDADE DE CONSUMO E
CONTRIBUIR PARA O SURGIMENTO DE UMA SOCIEDADE DE MASSAS REVOLUCIONARIA.
AI PROCURAREMOS RESSALTAR AS CORRESPONDENCIAS ENTRE OS DOS MOMENTOS DO
PROCURAREMOS RESSALTAR AS CORRESPONDENCIAS ENTRE OS DOIS MOMENTOS DO
PROCESSO DE MUDANCA DA RELACAO ENTRE ESTETICA E CULTURA DE MASSAS, E
ACONTECIMENTOS COMO A REVOLUCAO CUBANA, AS GUERRAS DE LIBERTACAO NO CON-
TINENTE AFRICANO, OS MOVIMENTOS REVOLUCIONARIOS NA AMERICA LATINA, A RE-
VOLUCAO CULTURAL PROLETARIA NA CHINA, A RESISTENCIA POPULAR ARMADA NO
VIETNA E O INTERESSE MANIFESTADO NO 1o. MUNDO POR ESTES ACONTECIMENTOS.
NOVAS CATEGORIAS SOCIO-POLITICAS (COLONIZADO, RACA, GENERO, ETC) SAO
PROGRESSIVAMENTE FORJADAS E COEXISTEM COM A DE CLASSE SOCIAL. A PULVERI-
ZACAO DAS AFIRMACOES DAS DIFERENCAS NAS INCONTAVEIS DIFERENCIACOES DE
GRUPELHOS MARCA O FINAL DA DECADA DE 1960.
PRETENDE-SE, NO CURSO, ESTIMULAR UMA LEITURA REFLESIVA E CRITICA DE
TEXTOS IMPORTANTES SOBRE OS CONCEITOS E AS QUESTOES QUE FUNDAMENTAM AS
DIFERENTES PERSPECTIVAS ANTERIORMENTE REFERIDAS - UM LA O, APROFUNDANDO
O CONHECIMENTO DO ESTUDANTE EM MATERIAS DE QUE GERALMENTE, TEM NOCAO
INICIAL; E, POR OUTRO, CAPACITANDO-O A UMA PRECIACAO MAIS ACURADA DO
PRODUTO CULTURAL.
E AINDA: APERFEICOAR NA LINGUAGEM ESCRITA E ORAL DOS ALUNOS DA POTEN-
CIALIDADE DE EXPRESSAR COM PRECISAO AS QUESTOES COMPLEXAS CONTIDAS NAS
LEITURAS CONCEITUAIS E PRODUTOS CULTURAIS, QUE DEVERA ESCREVER E APRE-
CIAMENTE.
ASSIM, O CURSO IRA BASCAR-SE ESSENCIALMENTE NA LEITURA, ESCLARECIMEN-
TO E DISCUSSAO DE TEXTOS ESCOLHIDOS ENTRE OS INDICADOS A BIBLIOGRAFIA.
ATRAVES DA PROJECAO E COMENTARIO DE SLIDES, VIDEOS REVISTAS A EXPOSICOES
E OUTROS ESPETACULOS EM EXIBICAO, ASSIM COMO A LEITURA COMPARATIVA ENTRE
EXPRESSOES LITERARIAS E DE CULTURA DE ESSA - BUSCAR-SE-A TRAZER PARA EX-
PERIENCIA CONCRETA DOS ALUNOS AS REFERENCIAS CONCEITUAIS A SEREM ESTU-
DADAS.

BibliografiaInício da Vigência em 1970/2

BARTHES, ROLAND SAO PAULO
MITOLOGIAS ED. DIFCL 1987
DORTFLES, GILLO LISBOA
AS ASOLACOES DO GOSTO ED. LISBOA 1989
ECO, UMBERTO SAO PAULO
APOCALIPTICOS E INTEGRADOS (PESPECTIVAS - SONS 1970
E AS IMAGENS, 295-386)
TEIXEIRA COELHO - LPM, RS. SUL
(CAPITULOS SOBRE MODERNIDADE E MODERNISMO, 7-35, 1996
DOIS TRACOS POS-MODERNIDADE, 128-140).
BRAUDRILLARD, JEAN - "O SISTEMA SAO PAULO
DOS OBJETIVOS" - PERSPECTIVA, (APUBLICIDADE, 173-204, E 1973
COMENTARIO DE LUIZ COSTA LIMA IN "TEORIA DA CULTURA DE
MASSA "PAZ E TERRA, RIO 1982).
MACLUHAN, MARSHALL - VISAO, RIO
SOM E FURIA (IN "TEORIA DA CULTURA DE
MASSA". DE LUIZ COSTA LIMA, 143154
ADORNO, THEODOR - "O ILUMINISMO RIO
COMO MISTIFICACAO DAS MASSAS (IN "TEORIA DA CULTURA 1982
DE MASSA", DE LUIZ COSTA LIMA, PAZ E TERRA, COMENTARIOS
DE L. C. LIMA 157-204
BENJAMIN, WALTER - "A ORA DE ARTE NA EPOCA DA
REPRODUTIVIDADE TECNICA "(IN "TEORIA DA CULTURA DE MASSA 1982
" DE LUIZ C. LIMA, PAZX TERRA - 207-240
GOLDMANN, LUCIEN - "A CRIACAO CULTURA
NA SOCIEDADE MODERNA " - (IMPORTANCIA DO CONCEITO DE 1972
CONSCIENCIA POSSIVEL PARA COMUNICACAO, POSIB. DE ACAO
MASSA MEDIA
BAKHTIN, MIKHALL "A TIPOLOGIA DO DISCURSO NA
SA". (IN "TEORIA DA LITERATURA E SUAS FONTES",
LUIZ C. LIMA VOL. II FRANCISCO ALVES 462-484)
VALERY, PAUL - "DISCURSO SOBRE RIO
A ESTETICA
"(IN TEORIA DA LITERATURA EM SUAS FONTES, 45-57 1975
GULLAR, FERREIRA - VANGUARDA E RIO
SUBNDESENVOLVIMENTO. ENSAIOS SOBRE ARTE. CIVILIZACAO 1969
BRASILEIRA.
LOWY, MICHAEL - "A ESCOLA DE SAO PAULO 32 EDICAO
FRANKFURT E A MODERNIDADE.
BENJAMIN E HARBERMAS". NOVOS ESTUDOS ED. CERAP 1992
ARGAN, GIULIO CARLO - AS FONTES SAO PAULO
MODERNA - NOVOS ESTUDOS No. 18. ED. CEBRAP 1987
BRADBURY, MALCOLM E MACFARLANE, SAO PAULO
JAMES - "O NOME E A NATUREZA DO MODERNISMO
"E" O CLIMA CULTURAL DO MODERNISMO". IN:
MODERNISMO. GUIA GERAL
EKSTEINS, MORIS - A SAGRACAO RIO DE JANEIRO
PRIMAVERA. A GRANDE GUERRA EO NASCIMENTO DA ERA ED. ROCCO 1991
MODERNA.
ANDERSON, PERY - "MODERNIDADE E REVOLICAO". 14. EDICAO
NOVOS ESTUDOS ED. CEBRAP 1986
BERMAN, MARCHALL - PORQUE O RIO
MODERNISMO AINDA VIGORA, CIC (PAPEIS E VULSOS No. 01 1989
CENTRO INTERDISCIPLINAR DE ESTUDOS CONTEPORANEOS
ORTIZ, RENATO - A MODERNA SAO PAULO
TRADICAO BRASILEIRA E INDUSTRIA CULTURAL BRASILIENSE 1989
HABERMAS, JURGEN - ARQUITETURA MODERNA E
POS-MODERNA NOVOS ESTUDOS No. 18 1987
ANDRADE, MARIO DE - O MOVIMENTO RIO
MODERNISTA EDICOES CULTURA ED. C.E.B 1942
LAFETA JOAO LUIZ
ETETICA E IDEOLOGIA: O MODERNISMO IN: ARGUMENTO. 1973
ARMSTRONG, CLEO ET ALII PARIS
GROUPOS MOVIMENTS, TENDENCES DE 1'ART CONTEMPORAIN DEPUIS 1945
ECOLE SUPERRIEUR DES BCAUX ARTS 1989
LIPPARD LUCY R. LONDON
THAMES END HUDSON POP ART
PECAUT, DANIEL (ANO I No. 1) SAO PAULO
OS INTECTUAIS E A POLITICA NO BRASIL. ENTRE 1990
O POVO E A NACAO, KAITOS LIVRARIA E EDITORA
CANDIDO, ANTONIO ET ALII SAO PAULO
KAITOS LIVRARIA E EDITORA (ARTE E REVISTA) 1979
SCHWARZ, ROBERTO
O PAI DE FAMILIA E OUTROS ESTUDOS ED. PAZ E TERRA 1978
BAUDRILLARD, JEAN SAO PAULO
A SOMBRA DAS MAIORIAS SILENCIOSAS. O FIM DO ED. BRASILIENSE 1985
SOCIAL E O SURGIMENTO DAS MASSAS
SCHWARZ, ROBERTO (ORG.) - SAO PAULO
PONTOS DE VISTA SOBRE A FICCAO.
NOVOS ESTUDOS NOVOS ESTUDOS No. 3 ED. BRAS. DE 1983
CIENCIA
ARGAN, GIULIO CARLO
ARTE MODERNA 1992
HOLLANDA HELOISA BUARQUE DE SAO PAULO
IMPREASSOES DE VIAGEM ED. BRASILIENSE 1992
MATTELART, MICHELE & ARMANDO SAO PAULO
CARNAVAL DE IMAGENS A FICCAO NA TV. ED. BRASILIENSE 1989
SUBIRATS, EDUARDO SAO PAULO
DA VANGUARDA AO POS-MODERNISMOS ED. NOBEL 1984