Carregando...

DISCIPLINA Listagem de Ementa/Programa

LITERATURA MUNDIAL E PRODUÇÃO LITERÁRIA EM REGIÃO PERIFÉRICADISCIPLINA 121967

VER OFERTA

ÓrgãoFUP UnB - Faculdade de Planaltina
Código121967
DenominaçãoLiteratura Mundial e Produção Literária em Região Periférica
NívelGraduação
Vigência1997/2
Pré-requisitosDisciplina sem pré-requisitos
Ementa

Estudo da literatura enquanto sistema-mundo (Weltliteratur - J. W. Goethe). Processos históricos em que se inserem as literaturas periféricas, vinculados objetivamente às nações centrais. Estudo de natureza organicamente comparatista que permite compreender a produção literária, universalizada com o capital, em suas diversas fases e crises. Investigação dialética da constituição do sistema literário brasileiro e das produções literárias de outras regiões periféricas. Relação entre centro e periferia, metrópole e colônia, cosmopolitismo e localismo, campo e cidade, a partir da leitura e análise da forma de obras da literatura universal em cotejo com obras literárias produzidas em regiões periféricas. Conceitos: a literatura universal; a ficção moderna; o romance histórico, burguesia e modernidade; tradição interna; originalidade e cópia; autonomia relativa da arte; missão desfetichizadora da arte; literatura-mundo e sistema-mundo; progresso contraditório; sentido histórico e perspectiva.

Programa

Apresentação do curso e do conceito de literatura universal como sistema. Notas sobre o romance; Formação do sistema literário mundial enquanto parte do processo de transformação do mundo pelo trabalho. A estética e a política cultural; O Werther de Goethe e o iluminismo "romântico" alemão. A interpretação do romance por Georg Lukács; Honoré de Balzac: a profecia das ilusões perdidas na possibilidade do realismo na arte e na literatura; O fim do período heroico da revolução burguesa e a desilusão com as jornadas de 1848: do realismo ao naturalismo; O capote de Nikolai Gogol e o renascimento do realismo na literatura periférica russa; Oblomov e A morte de Ivan Iliitch: e os limites mortificantes da sociedade feudal russa com aspiração moderna; Máximo Gorki: a literatura como perspectiva da necessidade da superação revolucionária; Uma literatura de guerra e de uma histórica virada revolucionária: Mikhail Cholokhov, o Don Silencioso, Terras desbravadas e O destino de um homem; A literatura como desenvolvimento da autoconsciência da humanidade.

Bibliografia

BALZAC, Honoré de. A obra prima ignorada. São Paulo: LPM, 2010.
CARPEAUX, Otto Maria. História da Literatura Ocidental. A época da classe média. Literatura Burguesa (Balzac e o romance burguês). Brasília: Senado Federal, 2010.
CARPEAUX, Otto Maria. História da Literatura Ocidental. A época da classe média. Do realismo ao naturalismo. Brasília: Senado Federal, 2010.
CHOLKHOV, Mikhail. O destino de um homem. Brasília: Thesaurus Coordenada, s.d.
GOETHE, Johann Wolfgang Von. Os sofrimentos do jovem Werther. Rio de Janeiro: Abril, 1987.
GOGOL, Nikolai. O capote. São Paulo: LPM, 2000.
GORKI. Máximo. "Na estepe" in Contos. Belo Horizonte: Itatiaia, 2005.
KONDER, Leandro. Estética e Política Cultural. In: Lukács, Um Galileu do século XX. São Paulo: Boitempo, 1996.
KONDER, Leandro. Os marxistas e a arte. São Paulo: Expressão Popular, 2013.
LUKÁCS, Georg "Narrar ou descrever". In: Ensaios sobre literatura. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1965.
LUKÁCS, Georg. "A arte como autoconsciência do desenvolvimento da humanidade". In: Introdução a uma Estética Marxista. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.
LUKÁCS, Georg. "Nota sobre o romance". In: NETTO, José Paulo (org.) Lukács. São Paulo: Ática, 1992.
LUKÁCS, Georg. "Os sofrimentos do jovem Werther". Scribd. Publicado por iaccus, dezembro, 2013. Direitos autorais não comerciais.
LUKÁCS, Georg; "Scholokhov, 'O Don silencioso' - a epopéia da Guerra Civil na terra dos Cossacos". São Paulo: Expressão Popular. (No prelo)
MARX, Karl e ENGELS, Friedrich. Manifesto do Partido Comunista. Rio de Janeiro: Cátedra, 1987.
TOLSTOI, Leon. A morte de Ivan Iliitch. São Paulo: 34, 2009.
REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES:
LUKÁCS, Georg. La novela histórica. Barcelona - Buenos Aires - México: Grijalbo, 1976.
LUKÁCS, György. Estética I. La peculiaridad de lo estético. Barcelona - México: Ediciones Grijalbo, 1972.
LUKÁCS, Georg. Ensaios sobre literatura. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 1968.
MORETTI, Franco. A literatura vista de longe. Porto Alegre: Arquipélago, 2008.
MORETTI, Franco. "Conjecturas sobre a literatura mundial". In: SADER, Emir (org.). Contracorrente: o melhor da New LeftReview em 2000. Rio de Janeiro: Record, 2001, p. 45-64.
OEHLER, Dolf. Quadros parisienses. Estética antiburguesa 1830-1848. São Paulo: Cia das Letras, 1997.
PRESTIPINO, Giuseppe. El marxismo y lainvestigación teórica sobre el arte literario. Literatura e ideologías. Madrid: Alberto Corazón Editor, 1972.
SCHWARZ, Roberto. "As ideias fora do lugar". In: Ao vencedor as batatas. São Paulo: Duas Cidades e Ed. 34, 2000.
SCHWARZ, Roberto. "A importação do romance e suas contradições em José de Alencar". In: Ao vencedor as batatas. São Paulo: Duas Cidades e Ed. 34, 2000.
SCHWARZ, Roberto. "Leituras em competição". In: Novos Estudos CEBRAP, n. 75, jul. 2006, p. 61-79.
SCHWARZ, Roberto. "Nacional por subtração". In: Que horas são? São Paulo: Companhia das letras, 1987.
SCHWARZ, Roberto. Um mestre na periferia do capitalismo. São Paulo: Duas Cidades / Ed. 34, 2000.
SÜSSEKIND, Flora. Tal Brasil, Qual Romance? Rio de Janeiro: Achiamé, 1984.
VEDDA, Miguel (org). György Lukács y la Literatura Alemana. Buenos Aites: Herramienta, 2005.